O verdadeiro Avivamento à luz da Bíblia

 

 

Texto base - Habacuque – 3:1.2

(Com texto hebraico transliterdo)


1. ORAÇÃO de Habacuque o profeta, a respeito dos erros (sobre Sigionote).

1. tefillah lachavakkuk hannavi al shigyonot.

2. Javé, ouvi Tua palavra e fiquei atemorizado; oh SENHOR, mantém sempre viva a Tua obra (Israel) ao longo dos anos. No correr do tempo torna-a reconhecida. E mesmo em Tua ira, lembra-Te de ser misericordioso.

2. YAHWEH (Adonai) shama'ti shim'acha yareti YAHWEH (Adonai) pa'alecha bekerev shanim chaiyeihu bekerev shanim todia' berogez rachem tizkor.

 

Conceito de avivamento no Antigo Testamento


O verbo hebraico Hyh (avivar) tem o significado primário de "preservar" ou "manter vivo". Porém, "avivar" não significa somente preservar ou manter vivo, mas também purificar, corrigir e livrar do mal. Esta é uma conseqüência natural em toda vez que Deus aviva.

 

Na história de cada avivamento, dentro ou fora da Bíblia, lemos que Deus purifica, livra do mal e do pecado, tira a escória e as coisas que estavam impedindo o progresso da causa ou da alegria do povo de Deus.

O verbo "avivar", em suas várias formas, é usado mais de 250 vezes no Antigo Testamento, das quais, 55 vezes estão num grau chamado piel. Um verbo nas formas do Piel expressa uma ação ativa intensiva no hebraico. Neste sentido, o avivamento é sempre indicado como uma obra ativa e intensiva de Deus.


Conceito de avivamento no Novo Testamento


Temos no Novo Testamento grego um conjunto de palavras que expressam o conceito básico de avivamento. Que São: egeíro, anastáso, anázoe e anakaínoo.


Outras palavras gregas comparam o avivamento ao reacender de uma chama que se apaga aos poucos (‘anazopyréo em II Timóteo 1:6) – “Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela imposição das minhas mãos”.

 

Ou uma planta que lança novos brotos e "floresce novamente" (‘anaphállo em Filipenses 4:10) – “Ora, muito me regozijei no Senhor por finalmente reviver a vossa lembrança de mim; pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido oportunidade”.

 

No Novo Testamento grego as palavras aparecem no contexto de avivamento, apenas sete vezes, embora a idéia básica de avivamento seja sugerida com mais freqüência. Uma possível explicação para tão poucas vezes aparecerem os termos, em comparação ao Antigo Testamento, é que o Novo vive apenas uma geração, durante a qual a Igreja desfrutou, na maior parte do tempo, uma vida espiritual quase que igual.

 

O que não é avivamento segundo as Sagradas Escrituras


Antes de falarmos sobre o que é avivamento bíblico, propriamente dito, acreditamos ser de grande importância falarmos um pouco sobre o que não é o padrão teológico de avivamento bíblico.

 

Avivamento não é um programa agendado pela igreja. “tal dia o fulano de tal virá pregar na Igreja ou em qual quer lugar para avivar a nossa igreja”.


Avivamento não é ação da igreja, mas exclusivamente de Deus.

 

Avivamento é obra soberana e livre do Espírito Santo.

 

A igreja não promove e nem faz avivamento.

 

A igreja não é agente de avivamento e sim, participante dele.

 

A igreja não agenda e nem programa avivamentos.

 

A igreja só pode buscar o avivamento e preparar o caminho da sua chegada.

 

A igreja não produz o vento do Espírito, mas a igreja só pode caminhar em direção a esse vento.

 

A soberania de Deus, no entanto, não anula a responsabilidade humana. O avivamento jamais virá se a igreja não preparar o caminho.

 

O avivamento jamais acontecerá se a igreja não se humilhar e se santificar diante de Deus.

 

Sem oração e sacrifício de louvor da igreja, o fogo de Deus (Esh Kadosh) não descerá sobre os irmãos. Sem busca não há encontro.

 

Sem obediência à Deus, jamais haverá derramamento do Espírito. Contudo, quem determina o quando e o como do avivamento é Deus. Não esqueça de que somente Ele é soberano.

 

Avivamento não é mudança doutrinária. Temos que ter muito cuidado com o que parece ser santo, mas são costumes e modismos carnais para promover uma falsa alegria na igreja. É preciso muito cuidado e atenção nestas falsas manifestações.

 

Cometem engano aqueles que querem deixar de fora a teologia bíblica e desprezar o ensino na busca do avivamento.

 

Desprezar o ensino é destruir os alicerces da vida cristã. Desprezar o ensino é querer levantar uma construção sem o fundamento sólido à base. Desprezar o ensino é querer por um corpo de pé e em movimento sem os ossos.

 

Não há vida avivada sem conhecimento de Deus. O ensino é a base do derramamento do Poder Divino.

A teologia é mãe da ética. "Assim como o homem crê no seu coração, assim ele é" (Provérbios – 23:7) – “Porque, como imaginou no seu coração, assim é ele. Come e bebe, te disse ele; porém o seu coração não está contigo”.

 

Vida sem disciplina e conhecimento da Palavra de Deus gera misticismo e experiencialismo subjetivista.

Avivamento sem doutrina é fogo de palha, é movimento emocionalista, é experiencialismo personalista e antropocentrista que só dura por alguns instantes.

 

Deus tem compromisso com a verdade e a Sua Palavra é a verdade e todo avivamento precisa estar fundamentado na Palavra de Deus.

 

O avivamento precisa estar embasado nas Escrituras e não por desejos pessoais, sonhos ou visões carnais.

O avivamento precisa estar dentro dos ensinos da Bíblia e não dentro das revelações subjetivistas, muitas vezes feitas na carne, vindo do emocionalismo.

 

Avivamento não é mudança litúrgica apenas, e sim uma constância na presença de Deus.

 

Muitos crentes confundem avivamento com forma de culto, com liturgia animada. Louvor não é encenação. Não é ritualismo. Não é emocionalismo. Não é apenas seguir formas pré-estabelecidas, como bater palmas, dizer aleluia, amém ou levantar as mãos.

 

Avivamento não é pular e dançar apenas. Louvor que apenas levanta as mãos para o alto, mas não as estende para o necessitado e para o perdido não agrada a Deus.

 

A Bíblia ordena levantar mãos santas ao Senhor, num gesto de rendição e entrega.

 

Avivamento em que a pessoa apenas pula, mas não vive em santidade, é ofensa a Deus.

 

Avivamento que apenas diz coisas bonitas para Deus, mas não leva Deus a sério na vida, obedecendo os seus pastores que é um ensinamento bíblico é fogo estranho diante do Senhor.

 

Carta ao Hebreus 13:17 - "Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil."

 

Avivamento bíblico é vida transformada pelo Poder de Deus

 

Avivamento que não produz mudança de vida, quebrantamento, obediência e não leva as pessoas a confiarem em Deus, não é Avivamento, é barulho aos ouvidos de Deus.

 

Amós 5:23 - “Afastai de Mim o ruído de vossos cânticos; não quero ouvir a melodia de vossos saltérios”

 

Existem por aí os showmen, os animadores, das músicas por um ritmo que às vezes provoca a sensualidade até meso dentro das Igrejas ou em mbientes deadorção.

 

O Avivamento que agrada a Deus precisa ser em espírito e em verdade.

 

João 4:23 - "Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.".

 

O Avivamento precisa ser bíblico, senão é fogo estranho, e sendo assim, precisa ser urgentemente retirado do meio do povo de Deus.

 

Gálatas 5:7.8

7 Corríeis bem; quem vos impediu, para que não obedeçais à verdade?

8 Esta persuasão não vem daquele que vos chamou.

9 Um pouco de fermento leveda toda a massa.

 

Davi, no Salmo 40:3, fala-nos sobre louvor que agrada a Deus: "E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus; muitos o verão, e temerão, e confiarão no SENHOR”.


Primeiro, vemos a origem deste cântico: " E pôs um novo cântico na minha boca ".

 

O Avivamento bíblico leva as pessoas a temerem a Deus, a confiarem em somente NELE.

 

O verdadeiro Avivamento leva as pessoas a se voltarem para Deus.

 

O Avivamento não é um espaço da liturgia. Louvor é a totalidade da vida.

 

Salmos – 34:1 (Com texto hebraico transliterdo)

LOUVAREI ao SENHOR em todo o tempo; o seu louvor estará continuamente na minha boca.

avarachah et-YAHWEH (Adonai) bechol-et tamid tehillato befi.


Conclusão: À luz destas coisas, é preciso dizer que avivamento não é mudança litúrgica, é mudança de vida. Avivamento não é histeria carnal, é choro pelo pecado. Deus não procura adoração. Adoração Deus já tem e muito no Céu. Ele procura verdadeiros adoradores.

Parceiros